Gênero, masculinidades e alcoolismo na modernidade: a Revista Illustração Brasileira, as comemorações do Centenário da Independência e a as elites urbanas cariocas no início do Século XX

Autor: Savian, Zulemar Augusta Girotto
Orientador: Braga, Antonio Mendes da Costa

Dissertação de mestrado – Ciências Sociais – FFC

A Belle Époque, uma época de transformações profundas na sociedade brasileira. Para as elites cariocas, foi tempo onde vários projetos de modernidades se consolidaram em diferentes esferas da vida e muitos desses signos podem ser encontrados em periódicos de leitura rápida como as revistas da época.

Dessa forma, através do método qualitativo este ensaio analisa a revista Illustração Brasileira, com ênfase nas edições de 1922 (ano das comemorações do centenário da independência do Brasil). Busca encontrar símbolos, identidades femininas e masculinas, hábitos, vícios, modos de vida e formas de transgressão que possam expressar as características das elites urbanas cariocas.

Como leitura ideal ao dia a dia, a revista refletiu ideais necessários aos novos sujeitos modernos, com artigos de crítica ao patriarcado, reportagens sobre celebridades em Paris e as novidades de produtos da última moda em 1922, tal como cervejas escuras, claras, cigarros industrializados e roupas diferenciadas para homens e mulheres.

Num momento onde existia todo um discurso médico e higienista, pautado em teorias eugênicas, degenerativas e alienistas de disciplinarização dos corpos e controle dos espaços como femininos ou masculinos houve uma situação conflituosa por parte dos anunciantes da revista que tiveram de relacionar principalmente o consumo da cerveja, o uso do cigarro e de outras drogas lícitas como a cocaína, o éter e o haxixe a espaços controlados pela sociabilidade, pela diversão e pela responsabilidade na moderação de seu consumo.

Confira: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/136205

Artigos Relacionados

22/07/2021
20:15
20/03/2021
09:00
20/03/2021
09:00
17:00