O ogro no espelho: Hanibbal Lecter e o mito do homem selvagem

Autoras: Rosane Cardoso e Marina Oliveira

O canibalismo é uma prática tão antiga quanto a humanidade e compreende muitos desdobramentos. Manifestou-se em períodos de fome intensa, em rituais pagãos e em representações artísticas. Tabu incontestável no Ocidente é visto atualmente como crime hediondo.

Na literatura, a personagem que geralmente sintetiza esse tipo de barbárie é o ogro, criatura de índole perversa que quer devorar aqueles que atravessam seu caminho.

O canibal/ogro adquire várias formas, de deuses primitivos, passando pela bruxa ou pela madrasta má dos contos de fadas até versões vampirescas. Este artigo discute o canibalismo na narrativa contemporânea, considerando o fascínio que provoca Hannibal Lecter, personagem central dos best-sellers de Thomas Harris e de exitosas narrativas audiovisuais. Colocando o renomado psiquiatra e serial killer na posição de ogro contemporâneo, analisa-se a sua relação, como ogro, com um mito ancestral, o mito do homem selvagem discutido pelo antropólogo Roger Bartra.

Confira: www.revistas.usp.br/criacaoecritica/article/view/129257

Artigos Relacionados

13/11/2021
11:10
20/03/2021
09:00
20/03/2021
09:00
17:00